Coluna cervical: anatomia e 8 possíveis patologias (quando se preocupar?)

Compartilhe com seus entes queridos preocupados
4.4
(8)

Artigo revisado e aprovado por Dr. Ibtissama Boukas, médico especialista em medicina de família 

Também chamada de coluna cervical, a coluna cervical forma a região do pescoço. A sua função é essencial, e esta região pode ser sede de diversas patologias.

O que é a coluna cervical e quais são os sintomas mais comuns encontrados com um problema no pescoço? Quando você deve se preocupar? Que tratamentos considerar?

Este artigo popular explica tudo o que você precisa saber sobre essa parte da coluna. 

Definição e anatomia da coluna cervical

A coluna cervical faz parte da coluna vertebral. É composto por 7 ossos, ou vértebras, numerados de C1 a C7. As vértebras são separadas umas das outras por discos intervertebrais. Esses discos ajudam a absorver choques e também facilitam os movimentos do pescoço.

Uma vértebra é composta por um corpo vertebral na frente e um arco ósseo na parte posterior. O espaço entre o corpo e o arco posterior forma um canal que percorre toda a extensão das costas. É chamado de canal espinhal (ou canal espinhal).

É por esse espaço que passam a medula espinhal e os nervos espinhais (por meio de aberturas chamadas forames em ambos os lados da coluna). Esses nervos viajarão para os membros superiores para proporcionar sensação e movimento.

A coluna cervical é sustentada por uma série de músculos e ligamentos ligados às vértebras. Uma de suas principais funções será proteger a medula espinhal e o feixe vasculonervoso (vasos sanguíneos e nervos) ao redor do pescoço.

Patologias da coluna cervical

A coluna cervical pode ser o local de diversas patologias. Estes podem ser traumáticos (após um acidente) ou aparecer gradualmente.

Essencialmente, qualquer dano aos discos, músculos, ligamentos, vértebras ou articulações do pescoço pode causar dor e outras disfunções.

Entre as patologias mais comuns estão:

sintomas

Obviamente, os sintomas observados dependerão da patologia. Para conhecer os sintomas causados, é necessário compreender o papel anatômico e fisiológico da estrutura irritada.

Os sintomas também dependerão do indivíduo em questão, pois a capacidade de adaptação do corpo e a tolerância à dor são diferentes para todos.

Por exemplo, danos nos nervos podem causar dor irradiada, bem como dormência e formigamento nos membros superiores.

A lesão ligamentar pode causar dor local agravada por movimentos que colocam tensão nos ligamentos em questão.

A lesão muscular pode causar inflamação local e limitar os movimentos que envolvem a contração de músculos irritados.

Danos vasculares podem afetar indiretamente a visão ou a audição.

Em resumo, aqui está uma lista de sintomas frequentemente associados a distúrbios da coluna cervical:

  • Dor no pescoço
  • Dor tipo dor de cabeça referida na cabeça (em um ou ambos os lados)
  • Dor irradiada para o membro superior (ombro, cotovelo, punho, dedos)
  • Dormência e formigamento (formigas nas mãos)
  • Sensação de queimadura
  • Sentimento de fraqueza
  • Rachaduras no pescoço
  • Tontura
  • Zumbido
  • Distúrbios da visão
  • náusea

Exame físico

Ao consultar um profissional de saúde para um distúrbio da coluna cervical, ele geralmente segue uma estrutura para esclarecer a situação, e então emite uma (ou mais) hipótese(s) diagnóstica(s).

O exame geralmente começa com um questionário médico onde você será questionado sobre sua saúde, sua dor e outros sintomas, o impacto em sua vida diária, seus objetivos, etc.

Em seguida, o profissional fará um exame clínico. O objetivo principal é excluir danos graves (como câncer ou danos à medula espinhal) que constituam uma emergência médica.

Isto envolve nomeadamente testes neurológicos (Clonus, Babinski, reflexos, sensação, força muscular, coordenação, visão, etc.).

Uma vez que danos graves tenham sido descartados, os movimentos da coluna cervical, como flexão, extensão, rotações e inclinações laterais, geralmente serão avaliados. Isso nos dará informações sobre as estruturas irritadas.

Outros exames clínicos mais avançados ajudarão a esclarecer o diagnóstico e orientar o tratamento.

Imagens médicas da coluna cervical

Às vezes, o exame clínico do profissional de saúde não é suficiente para determinar com convicção a patologia da coluna cervical.

Nesse caso, o médico solicitará um exame de imagem médica. Ressalta-se que esses exames não são recomendados de imediato, pois constatou-se que uma disfunção observada nos exames de imagem não explica necessariamente a dor do paciente.

Aqui estão os exames de imagem médica mais comuns prescritos pelos médicos:

Quando se preocupar?

Como mencionado anteriormente, um dos principais objetivos durante o exame físico (e radiológico) é excluir acometimento grave da coluna cervical.

Isso inclui, em particular, qualquer dano sistêmico (como câncer nos casos mais graves) ou dano à medula espinhal.

Aqui estão as situações em que uma lesão na coluna cervical preocuparia a profissão médica. Muitas vezes, são emergências, chegando até a cirurgia:

  • Formigamento, dormência e/ou fraqueza nos braços, mãos, pernas ou pés.
  • Falta de coordenação e dificuldade para andar
  • Reflexos anormais
  • Espasmos musculares
  • Perda do controle esfincteriano (incontinência urinária e fecal)

Tratamentos disponíveis

Felizmente, lesões graves na coluna cervical são raras e a grande maioria das patologias pode ser tratada.

Muitas vezes, o médico é consultado em primeira intenção após uma dor no pescoço. Ele pode então encaminhar para um terapeuta competente, ou mesmo um especialista para casos mais complexos.

Em casos crônicos, deve-se notar que uma equipe multidisciplinar, onde os profissionais trabalham em equipe, geralmente fornece os melhores resultados.

Aqui estão as modalidades de tratamento mais comumente usadas:

Conclusão

A coluna cervical consiste na justaposição de vértebras cervicais servindo em particular como suporte para a cabeça e permitindo o movimento do pescoço.

Existem várias patologias relacionadas com a coluna cervical. Os sintomas dependerão principalmente da estrutura irritada, bem como do nível de inflamação.

Um exame clínico e radiológico excluirá danos graves que requerem intervenção médica urgente e esclarecerá o diagnóstico.

Os tratamentos realizados por profissionais de saúde geralmente são eficazes no alívio da dor e na melhoria da qualidade de vida.

Boa recuperação !

Este artigo foi útil para você?

Indique sua apreciação pelo artigo

Classificação dos leitores 4.4 / 5. Número de votos 8

Se você se beneficiou deste artigo

Por favor, compartilhe com seus entes queridos

Merci de votre retour

Como podemos melhorar o artigo?

Voltar ao topo